Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DESIGN E OUTROS DESVARIOS

THERE ARE 360º, SO WHY STICK TO ONE? - ZAHA HADID

DESIGN E OUTROS DESVARIOS

THERE ARE 360º, SO WHY STICK TO ONE? - ZAHA HADID

26
Jul18

REFÚGIO NO CHILE

refugio01.jpg

 

É em San Esteban, no Chile, que existe este pequeno refúgio na montanha, perfeito para abrigo numas férias de aventura. Da autoria do gabinete Gonzalo Itugiarra Arquitectos, esta cabana contemporânea alberga o essencial: um quarto, instalações sanitárias, cozinha e zona de armazenamento para equipamentos de montanhismo. Apoiado sobre pilares, e com uma combinação de madeira de pinho, estrutura metálica e grandes janelas, é o espaço perfeito para desconectar da vida agitada da cidade. Eu ia já para lá passar uns dias!

 

 

 

08
Dez17

Dormir na grua

THEKRANE_02.jpg

 

Já não é a primeira vez que admito aqui, publicamente, que adoro viajar! Nem sempre é possível, por vezes há-que trabalhar para ganhar a vida, mas ainda nos momentos nos quais não se avizinham aventuras emocionantes, eu estou sempre em busca e captura de lugares, hotéis, espaços, eventos e destinos interessantes para as próximas viagens. 

 

 

E um "hotel" que vai direitinho para a lista de Must Visit é o The Krane.

 

Sim, é mesmo uma grua. E é um hotel. Com um único quarto. Fica em Copenhaga, Dinamarca.

 

 

 

 

08
Mar16

...gent de tot el món: estem en Falles!!!

Esta frase é a mais aguardada pelos Valencianos durante todo o ano. E é ouvida no último domingo de Fevereiro, quando se iniciam as festividades da cidade!

 

Aqui está o prometido post sobre as Fallas!

 

fallas.jpg

Falla

 

As Fallas são as festas principais da cidade de Valência, e embora a sua data oficial seja de 15 a 19 de Março, a verdade é que a cidade fica um mês em festa! São já consideradas Festas de Interesse Turístico Internacional. O nome Fallas é alusivo às tochas, que antigamente serviam para iluminar as torres de vigilância. Quando eu vivia lá, diziam-me que esta tradição veio das aldeias, de quando os agricultores, à entrada da primavera, queimavam instrumentos agrícolas antigos e tudo o que seria dispensável, como que num gesto de eliminar todo o peso do passado e começar de novo. 

 

E a verdade é que esta cidade fica, literalmente, em fogo durante um mês. E conta com vários momentos. 

 

crida-fallas-Valencia-2015.jpg

Cridá

 

Estas festas iniciam-se com a Cridá, que é como quem diz com a abertura oficial, na qual é entregue a chave da cidade à Fallera Mayor (que é uma espécie de Miss) e onde há ordem para, basicamente, queimar pólvora! Desde esse dia até ao 19 de Março, dia de São José, Santo ao qual estas festas são dedicadas, pode-se andar pela rua a acender petardos (e atira-los pela rua, de preferência para becos onde haverá mais eco quando estourarem). 

A cerimónia oficial tem lugar nas Torres de Serrano e eu vivia mesmo ali ao lado (que saudades).

 

0_bum57oah.jpg

Mascletá

 

fotonoticia_20160215142910_1280.jpg

Mascletá

 

Para além dos petardos que se rebentam pela rua - e os há de vários tamanhos, pois desde pequeninos que os Valencianos andam com pólvora nas mãos - há também, a Mascletá. Este momento ocorre todos os dias, de 1 a 19 de Março, na Plaza del Ayuntamiento às 14:00 em ponto, e dura 5 minutos aproximadamente. Durante esse tempo, quilos de pólvora são queimados e é preciso estar o mais perto possível para se ouvir (chega a 120dB), ver o céu a ficar cada vez mais coberto e sentir tudo mas tudo a tremer à volta! É espetacular!!! E depois, com o tempo, começa-se a perceber porque comparam os mestres pirotécnicos a DJ's e dizem que cada dia que passa é melhor. É que também tem ritmo! É espetacular, já tinha dito?

 

Também, durante vários dias - ou melhor, noites - há os Castells de Focs que são fogos de artifício exuberantes durante os quais a noite se transforma em dia. Valem bem a pena! 

 

Posso dizer que eu, como ex-atiradora, adorava o cheiro a pólvora queimada que se fazia sentir durante esta época. Era um êxtase para o sentido olfativo, eheh. 

 

fallas (23).jpg

Plantá

 

16779516546_c1ac2d981d_b.jpg

Plantá

 

Apesar de já começarem a aparecer peças e pedaços de bonecos e iluminação, os dias 15 e 16 são os da Plantá, que é como quem diz: vão erguer os bonecos. São uma espécie de caricaturas gigantes (dá para ver a escala nas fotos), produzidas durante todo o ano, que geralmente tem um tema específico de sátira ou crítica social. Nestes dias, com a ajuda de gruas, monta-se tudo e fazem-se os últimos retoques. E fica...sen-sa-cio-nal!!! 

Depois ficam assim mais ou menos deste tamanho (e depende do tamanho das praças, porque há uma em cada esquina):

 

las-fallas-2010-de-los-barrios-018.jpg

Falla

 

falla-pilar-2014.jpg

Falla

Para além das Fallas, há também os Ninots, que são as fallas infantis. São mais pequeninas mas geralmente muito mais elaboradas e cheias de detalhes:

 

a_ninots_-a.jpg

Ninot

 

Para além destas esculturas gigantescas, há também a iluminação das ruas, e o momento de ligar as luzes Encendido de la Falla. E não se acendem de qualquer forma! Acontece todos os dias ás 20:00. 

 

IMG_0186.JPG

Reparem na escala...no número de pisos que tem o prédio

 

Um dos momentos mais altos destas festas é a L'Ofrena (ou a Oferenda). Durante os dias 17 e 18, todas as comunidades falleras (basicamente há uma em cada bairro) vão em procissão oferecer flores à Virgem dos Desamparados, a santa padroeira de Valência e da Comunidade Valenciana. E essas flores são utilizadas na hora para recobrir toda a estrutura gigante de madeira e fazer assim o manto:

 

Ofrenda.jpg

Trajes típicos valencianos e Virgen de los Desamparados

 

Bom, há inúmeros momentos, várias Cavalgatas (procissões), entregas de prémios e a Despertà, que consiste em basicamente estourar umas quantas bombas à porta da Fallera Mayor todos os dias, quando ela sai para os atos oficiais. Houve um ano no qual a Fallera Mayor residia no mesmo prédio que o gabinete onde eu trabalhava...e ás 8:30 em ponto, todos os dias...garanto, dispensava a necessidade de cafeína!!! Mas...ao que eu quero chegar, são a dois pontos muitíssimo importantes nestas festas: o que comer/beber/dançar, ou seja, as Verbenas, e a Cremá

 

Durante o dia, há-que comer: buñuelos de calabaza e churros com chocolate! Sim, sim, que isto parece o Rio de Janeiro durante o ano, com o povo a cuidar da linha e a correr nas avenidas da praia, mas chegados a este mês consomem-se quantidades de colesterol que chegam para entupir as artérias de um continente inteiro! 

 

Chocolate con buñuelos.jpg

Basicamente é massa de churos com abóbora...frita...e depois mete-se aquilo no chocolate quente...

 

E de noite - agora estamos a chegar ao mais importante - há as Verbenas. Basicamente são festas montadas no meio da rua, onde há música até ás 4 da manhã, e muitos locais a vender bebidas. Estamos em Março, mas não faz mal, há sempre uns dias de muito calor, e geralmente o meu primeiro banho de mar do ano acontecia neste mês...por isso, pode-se perfeitamente fazer festas na rua. Há algumas que até tem fogueiras lá no meio para aquecer. 

 

E....o ponto alto altíssimo das festas: 19 de Março, dia de Cremá! 

 

E o que é a cremá? Basicamente, é onde se queima tudo! Bom, quase tudo! Todas as Fallas são queimadas, no meio de um espetáculo pirotécnico, claro está! Sim, eu fiquei chocada no primeiro ano! Só pensava: um ano de trabalho queimado?! Mas assim é! Segundo a tradição, a Falla vencedora queima-se à meia noite, a da Câmara Municipal (o Ayuntamiento) ás 0:30 e a partir da uma da manhã, tudo arde naquela cidade! Mesmo as que estão nas praças pequeninas, onde as janelas dos prédios tem de levar com cortinas anti-fogo. E as pessoas ficam na rua a assistir ao espetáculo entre chocolate quente, churros e vodka...sim, há alcool no meio do fogo...e geradores de energia a gasóleo ao lado dos petardos...e aquilo corre sempre bem! E as imagens são...fenomenais! 

 

fallas3.jpg

Cremá

 

cremas (6).jpg

Cremá

 

crema-fallas-valencia.jpg

Cremá

 

O post foi longo. Até ponderei separar este tema em dois diferentes, mas confesso que me entusiasmei. Espero que tenham ficado com vontade de lá ir nesta altura do ano....vale bem a pena, pelo menos uma vez na vida. E percebe-se o sentimento de se ser valenciano, o que também é interessante, conhecer outras culturas. 

 

:)

 

 

12
Fev16

S. Valentim de última hora

O meu pai costuma dizer que os verdadeiros presentes são aqueles que se oferecem nos momentos inesperados. São aqueles que comprámos quando vemos algo que nos faz lembrar alguém especial e, simplesmente, oferecemos, como demonstração de que se pensou naquela pessoa e se gosta dela.

Segundo ele, o presente do dia dos namorados, de Natal, de aniversário...são obrigações! É uma espécie de "aqui está o teu, agora entrega-me o meu". Eu gosto de presentes a qualquer altura, mas não deixo de lhe reconhecer uma certa razão. 

 

Arrisco-me a ficar sem presente com o que aqui vou dizer, mas a verdade é que, no próximo Domingo, dia de São Valentim, o que realmente quero é passar tempo de qualidade com "o tal". Porque a verdade é que, apesar dos mútuos esforços, o ritmo agitado que ultimamente temos nos impede de aproveitar verdadeiramente dos momentos a dois. Pelo menos a mim parecem-me sempre escassos. E nada melhor do que, de vez em quando, desligar do mundo e disfrutar do momento e da companhia. 

 

Por outro lado, mesmo nos dias de São Valentim que passei estando solteira, fazia questão de me mimar! Porque a verdade é que temos de ser os primeiros a fazê-lo. E se os casais iam cheios de planos para o momento, eu não ficava atrás! ;)

 

Por tudo isto, porque como já sabem sou adepta das viagens e porque adoro andar a investigar novos sítios, deixo aqui seis sugestões de espaços que me parecem interessantes para um bom fim de semana, seja com quem for! Confesso que cheguei a ter uma lista de mais de vinte, e me custou muito ir selecionando...pelo que decidi então deixar três sugestões "citadinas" e três de maior contacto com a natureza. Pus, pela primeira vez, galerias de fotos...ou seja, é só clicar nas setas! ;) 

 

Ah, e são todos destinos portugueses, que temos um país tão bonito e há-que aproveitar.

 

Vamos lá então?

  

Teatro Bed & Breakfast, Lisboa

Começando pelos ambientes citadinos, confesso que achei este espaço o máximo! Quero lá ir em breve! O Teatro B&B em Lisboa é para os amantes das artes...e não só. Entre o Chiado e o Bairro Alto, aqui temos a oportunidade de vivenciar um espaço que nos transporta para outra realidade. 

 

 

Casa do Conto, Porto

Em pleno centro da cidade do Porto, encontra-se esta "casa de charme". Totalmente destruída por um incêndio e agora renovada, apresenta interiores...lindos! Onde predominam os cinzas e a textura de betão.

 

 

Casa do Juncal, Guimarães

 

Também em pleno centro, desta vez da Cidade Berço, uma cidade muito linda onde vivi por seis anos, e remodelada por arquitetos excelentes. Para aproveitar o espaço e toda a cidade envolvente! 

 

  

Areias do Seixo, Povoa de Penafirme

Para aqueles que preferem "desligar" dos ambientes citadinos e disfrutar mais do contacto com a natureza, esta é uma boa sugestão. Os ambientes são acolhedores, bonitos e interessantes.

 

 

Casa do Mezio Artomatic & Nature Hotel, Gerês

Chegámos ao meu querido Gerês! Aqui, sugiro a visita ao promeiro hotel "ecofriendly" da zona. Confortável e com acesso ao Spa, é o ideal para um fim-de-semana romântico! Pode estar frio lá fora, mas nós estamos quentinhos na piscina enquanto apreciamos a paisagem através das grandes superfícies envidraçadas! 

 

 

Pedras Salgadas - Tree House, Bornes de Aguiar - Vila Real

Para terminar, e a jeito de resposta contemporânea ao famoso "amor e uma cabana", uma estadia nas casas das árvores em Vila Real seria a cereja no topo do bolo! 

 

 

 

Espero que tenham gostado das sugestões, que servem tanto para este fim de semana especial, como para outro momento qualquer. Aliás, viagens são como presentes: caem bem a qualquer altura! :) 

 

Até breve e Happy Valentine! ;) 

 

 

 

04
Dez15

Cápsula espacial ou simplesmente uma tenda?

Eu falo aqui muitas vezes de viajar, de descobrir outros locais, etc. e tal. Hoje comecei a planear o próximo fim-de-semana prolongado e começo a perceber que: 1. os preços são muito altos em época festiva (e ir para o meio do Gerês é complicado porque dizem que pode nevar e nós ficamos pelo caminho); 2. Os sítios aonde me apetece ir (uma vez que o Gerês está em princípio excluído) estão longe e isso implicaria passar mais tempo no caminho do que propriamente a disfrutar do local; 3. Por vezes gosto do sítio e não do alojamento (é que me estava a apetecer experimentar um conceito diferente).

 

O que era mesmo giro era ter uma coisinha destas:

 

Lifepod_Architecture_1.jpg

 

Estão a ver que até tem parabólica e tudo? E adapta-se a diversos espaços!

 

Lifepod_Architecture_3.jpg

 

Lifepod_Architecture_4.jpg

 

Lifepod_Architecture_5.jpg

 

Ainda é um protótipo, mas quem sabe num futuro próximo? Isto é uma espécie de caravana futurista que se chama Lifepod. Foi criada pelo estúdio Kyu Che e aqui está a fonte de inspiração:

 

img_0537.jpg1

 

Eu sempre fui das que diz que gosta de acampar na piscina do hotel, mas com este estilo todo, de certeza iria mudar de ideias. Pelo menos experimentava!

 

Lifepod_Architecture_6.jpg(estão a ver? também dá para acampar no terraço, como eu dizia)

 

Imagens

 

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Follow

Pesquisar