Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DESIGN E OUTROS DESVARIOS

THERE ARE 360º, SO WHY STICK TO ONE? - ZAHA HADID

DESIGN E OUTROS DESVARIOS

THERE ARE 360º, SO WHY STICK TO ONE? - ZAHA HADID

19
Jul16

La vie en...cor de pêssego!

RED_VALENTINO2.jpg

 

Se na semana passada estava com uma conjuntivite, esta semana estou com uma contratura nas costas! O que me leva a concluir que devo ter feito muito mal a alguém ultimamente, sem o saber, pois, como se costuma dizer, o karma não falha! É claro que também posso não ter feito mal nenhum a ninguém e simplesmente seja uma pequena etapa menos confortável...e chata porque está sol e bom tempo e eu quase não saio de casa: porque não gosto de me ver de óculos e não estou habituada a tanta claridade sem os óculos de sol, e porque qualquer movimento menos planeado e ponderado do torso resulta numa dor aguda na região lombar! Enfim! A parte boa é que não me dá para ir ás compras, de modo a que estou com o instinto consumista condicionado! 

 

 

 

28
Abr16

Backstage A/W 2016 - estamos convidados

13-pattern-trend-low.gif

 

Houve uma altura na qual Design Gráfico não me dizia muito, o que é algo estranho, pois está muito ligado à Arquitetura. Assim, quando surgiu a hipótese de fazer uma formação nesta área, a minha ideia inicial era a de apenas frequentar o primeiro módulo, sobre manipulação de imagem, identidade visual e marketing. A minha única intenção aqui era o facto de aprender Photoshop, que me interessava como ferramenta para melhor comunicar as ideias de projeto.  

 

No entanto, algo aconteceu ao longo desse primeiro módulo que me transformou numa apaixonada por esta área.

 

23
Fev15

Memórias para o futuro

memoriasparaofuturo.jpg

 

 
Quando se trabalha numa empresa que aposta na "multinacionalidade dos seus ativos humanos", criam-se, quase inevitavelmente, amizades além-fronteiras.
Quando se trabalha numa empresa de tamanho médio-grande, conhecem-se todos de vista, cria-se empatia com bastantes, e geram-se laços de amizade com alguns. Uma pessoa que entra, sem a mínima dúvida, nesta última categoria é a minha amiga da Lituânia! Mais concretamente de Vilnius. Ela foi a primeira pessoa com quem falei quando lá entrei, a pessoa que mais vezes tive de repetir mentalmente o nome para não esquecer nem dizer mal, e a pessoa com quem criei uma Amizade com A grande. E sei que temos laços para a vida.
 
 
E, como sempre acontece entre amigas, fizémos imensos planos juntas. Alguns deles concretizámos, outros ainda estão em lista de espera. Como não: viagens! Ela já cá veio a minha casa, e já a levei por este Norte de Portugal afora, qual road trip caseira. E eu…ainda tenho pendente a viagem à Lituânia! Nem sempre é fácil conciliar agendas, mas um dia será.
 
 
E se me ficam no imaginário as paisagens verdejantes que ela me descreve, as saunas, os banhos na água gelada em pleno inverno (ui? a mim só me apanham lá no verão…), também me fica na memória as vezes em que ela, regressada da sua viagem a casa, desfilava sempre com um par de sapatos novos, recordando que lá a relação qualidade-preço é um milhão de vezes superior à de cá (leia-se Espanha, mas também podia ser Portugal). É claro que esta não é a grande motivação, mas certamente levarei espaço na bagagem para uns quantos pares, assim a uma escala que quase roça o contrabando.
 
 
E espero, mas espero mesmo, passar por este espaço durante a saga lituana pelos sapatos: chama-se Shoe Gallery, é dos Plazma Architecture Studio (agora que os conheço, creio que voltarei a falar deles por aqui).
 
 
portada_5_(Custom)
 
 
 
Até pode parecer uma loja relativamente "normal", ou simples... Mas apresenta pormenores que, para mim, justificam a entrada neste espaço:
 
 
9_(Custom)
 
 
 
Gosto do pormenor do desenho gráfico do papel de fundo, criado especialmente para esta loja. Não só pelo toque de distinção e contemporaneidade dentro de um espaço elegante com toques clássicos, mas principalmente pelo valor que atribuo à mistura de vertentes do design no mesmo espaço (design de moda, design de interiores, design gráfico).
 
 
2_(Custom)
 
 
 
Gosto da iluminação. Gosto da forma como as luminárias se fundem nos elementos decorativos e são partes de este.
Richard Kelly definia a luz como ambient lighting, aquela que de modo global ilumina o espaço, focal lighting, a luz que destaca objetos, muito usada em iluminação de espaços comerciais, e play of brilliants: candeeiros, candelabros, elementos luminosos chamativos, a luz não-racional que joga com as emoções e a estética: a minha favorita!!
 
 
Este tema das emoções é comigo, mesmo quando em demasia...
 
...enfim...
 
...mas continuando:
 
 
4_(Custom)
 
 
 
Gosto dos pormenores dourados das estantes. Eu associo o dourado ao Barroco. às ornamentações, ao século XVII-XVIII...e gosto de pormenores simples, elegantes, despretensiosos...associados a estas cores!
 
 
3_(Custom)
 
 
 
6_(Custom)
 
 

  Imagens

16
Fev15

"more is more, and less is a bore"*

Naquele tempo, éramos uma alemã, uma italiana, uma venezuelana e uma portuguesa a partilhar casa, e a diversidade cultural era evidente: desde a incompreensão da alemã à falta de pontualidade espanhola, passando pelo enfado da italiana pela desvirtuação da pizza até as arepas e à salada de frutos exóticos com gelado que a venezuelana queria apresentar como petisco típico de Natal.
 
 
Nessa altura de miscelânea lá por casa, conheci a avó da minha amiga venezuelana: uma senhora muito ativa no Skype que depois de enviuvar, superou um cancro e agora pratica natação ao nível de competição (sénior)…e que um belo dia resolveu tatuar os lábios de vermelho, porque não gostava do facto de a água da piscina lhe levar a maquilhagem! Essa senhora é, para mim, o expoente máximo da alegria de viver! É fantástica!!!
 
 
E esta introdução serve para apresentar uma pessoa através de outra pessoa. Porque me lembrei imediatamente dela, da avó da minha amiga, quando li uma reportagem sobre Iris Apfel. 92 anos, figura do mundo da moda e do design de interiores que se auto denomina de “a adolescente mais velha do mundo”. E eu gosto de pessoas que saem dos padrões. E eu gosto ainda mais de pessoas felizes. E ela é claramente uma das que conjuga estas duas características.
 
 
 
S-Moda-Editorial-March-30-2013-Iris-Apfel-by--021117
 
 
 
Iris Apfel já teve uns sapatos Jimmy Choo em homenagem, com o seu nome, a M.A.C. já criou uma coleção de maquilhagem inspirada nela, e aos 87 anos entrou na lista das personalidades mais bem vestidas pela Vanity Fair.
 
Mas o que mais me fascina nela, é a sua forma de ver e viver a vida, tão descontraída, tão confiante, tão sua: retratada pelas suas frases famosas. Como estas:
 
 
 
em relação a interiores e decoração
 
 iris-quote2-728x224
 
 
 
 item2.rendition.slideshowVertical.iris-apfel-apartment-03-living-room
 
 
 
em relação à forma de estar na vida
 
 

"I see myself as the world's oldest living teenager, because I have such a good time, and I try to get as much as of a kick out of things as possible"

 
eyebobs-iris-standing
 
 
 
em relação ao estilo pessoal
 
 
 
Iris1

 

em síntese

"I think you have to have self-confidence, or you just can’t pull it off. And fantasy is something that is so, so lacking in this world today.(...) Fantasy is powerful, powerful, powerful. And everybody can’t handle it in big doses but you can try little bits at a time.”

 

Imagem 1 Imagem 2 Imagem 3 Imagem 4 Imagem 5Follow my blog with Bloglovin

03
Fev15

Loewe, Valência e Peter Marino

Loewe.jpg

 

Vivia eu em Espanha, mais concretamente em Valência, quando lá abriu a nova loja da Loewe. Quem conhece esta cidade, sabe que não lhe faltam lojas interessantes: desde as montras da Louis Vuitton (sempre fantásticas apesar de eu apenas suspirar por uma daquelas malas antigas, com interior de madeira e arestas reforçadas) até às marcas Bvlgari ou Carolina Herrera. No entanto, esta loja marcou-me. Talvez porque nesse momento me encontrasse a trabalhar num projeto bem lá perto, e por esse motivo parasse mais por aqueles lados, ou talvez porque me encontrava num ponto em que sentia que precisava de um novo desafio. Não sei o motivo, mas sei que foi o que me impulsionou a exclamar (com emoção): É mesmo isso que eu quero! São estes espaços que eu quero desenhar!

E cá estou eu a lutar para acabar a dissertação de mestrado que parece que nunca mais acaba (by the way: neste momento, era exatamente isso que deveria estar a fazer)!

Mas voltando ao tema...

 

Em primeiro lugar, o arquiteto

 

10

 

Peter Marino, que pode exibir na sua carteira de clientes nomes como Chanel, Louis Vuitton, Christian Dior, Fendi, Celine and Ermenegildo Zegna, entre outros. O seu primeiro trabalho para Andy Warhol impulsionou a sua carreira de sucesso.

 

Em segundo lugar, o espaço

 

5

 

 

Loewe Valência. Confesso que quando entrei me veio à memória a frase que o meu pai repetia quando eu era pequenina e o acompanhava a exposições de mobiliário antigo: "não toques em nada...". Mas bastou explicar que sou arquiteta e que gostaria de conhecer o espaço que tive direito a uma visita guiada com o diretor da loja, com uma simpatia extraordinária.

 

3

 

 

E fiquei a saber que a textura dos revestimento de pilares e fachadas foi trabalhado de forma artesanal, que a pedra veio de uma região remota da China, que as madeiras são de Madagáscar e que o reboco era "pele de cobra".

 

2

 

 

Em resumo, é um espaço nobre e luxuoso, pensado ao detalhe por um arquiteto que, pelo seu mérito, pode dar largas à criatividade sem muitas, imagino, restrições orçamentais. E ainda bem que assim é! 

 

 

6

 

 

7

 

 

Imagem destaque

Imagem 1 | Imagem 2 | Imagem 3 | Imagem 4 | Imagem 5 | Imagem 6

22
Jan15

Prada, design e Koolhas

Prada.jpg

 

Já perceberam, pelos escassos posts que este blog tem, que miscelâneas entre arquitetura e moda são uma das minhas paixões (sim, eu até tenho mais algumas, e se tudo correr bem aqui no estraminé, lá chegaremos)!

Prada, uma das marcas que cria tendências a nível mundial uniu-se ao AMO, o ramo de investigação do estúdio holandês OMA (Office for Metropolitan Design) de Rem Koolhas. O resultado? Um espaço composto por sequências de vestíbulos, perfeito para a apresentação da coleção Outono Inverno 2015:

 

 

Prada-AW15-menswear-catwalk-by-OMA-AMO_dezeen_784_5

Segundo palavras dos criadores, esta composição cria uma sequência de espaços de caráter mais intimista. Uma vez que os convidados se encontram separados em pequenos grupos, cria-se assim uma sensação de proximidade destes com a própria coleção.

Prada-AW15-menswear-catwalk-by-OMA-AMO_dezeen_784_2

 

A iluminação deste espaço é indireta difusa, eliminando sombras demasiado duras nas peças e marcando os diversos pórticos, atribuindo um efeito de perspetiva e sequência. A superfície refletora colocada no centro de cada sala ajuda a marcar pontos de paragem e atenção, aumentando também assim a sensação de intimidade dos visitantes, uma vez que estes não se sentem expostos.

 

Prada-AW15-menswear-catwalk-by-OMA-AMO_dezeen_784_3

 

(suspiro) já imagino o dia em que desenharei eu esses espaços!!!! Ai ai... :)E como este post já está a ficar longo, fico-me por aqui! ;) Até breve!! 

 

 

Fotos de Agostino Osio

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Follow