Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Design e outros Desvarios

Dia de Santa Devota

SantaDevota.jpg

 

Na passada quinta-feira, 26 de Janeiro, a noite contou comigo a segurar oito pregos queimados, com um sorriso na cara, a tentar fotografar fogos de artifício (com o telemóvel) e a acenar aos Príncipes do Mónaco. E como surgiu esta cena deveras caricata? Surgiu da vontade de viver a tradiçao monegasca como se não houvesse amanhã!

 

 

O Principado do Mónaco conta com a proteção cristã da Santa Devota. Reza a lenda que Devota era uma mártir do Império Romano, que por volta do ano 300 d.C. foi martirizada e torturada por se ter negado a abdicar a sua devoção a Deus. O governador Dioclociano ordenou queimar o seu corpo, mas um grupo de cristãos resgatou-o e enviou-o numa barcaça em direção a África, com a esperança que Devota pudesse ser sepultada de acordo com a sua religião. No entanto, uma tempestade levantou-se e a barca deu à costa, não africana como esperado, mas sim monegasca. Devota foi sepultada a 27 de Janeiro e tornou-se, devido a vários milagres que lhe foram atribuídos, a padroeira do Principado, da família real e da diocese do Mónaco, bem como da Córsega. Daí as cores da bandeira do Mónaco: vermelha e branca. A cor vermelha representa o sangue derramado pela Santa, e o branco significa o seu virginal vestido. 

 

2017-01-31 07.48.22 1.jpg

A bandeira do Mónaco numa foto tirada no primeiro fim de semana, com a chegada dos carros do Rali de Monte Carlo.

É verdade, aqui SÒ chove ao fim de semana! Até o clima favorece aquela classe que não tem necessidade de cumprir horários, se me entendem...

 

O dia 27 de Janeiro é então feriado aqui no Principado. Este ano calhou numa sexta-feira, provando - pelo menos para mim - que a minha estrelinha da sorte está ativa, pois num mês de trabalho calhou-me logo um fim de semana prolongado. Na véspera, dia 26 à noite, efetuam-se as celebrações, assistidas pelos Príncipes do Mónaco, que culminam com a queima de uma barcaça em frente à Capela. Os príncipes, Alberto II e Charlene, ateiam fogo à barca e reza a lenda que os pregos queimados - únicos elementos que resistem - dão sorte. Eu digo sempre que tenho uma Estrelinha da Sorte, mas um prego para a auxiliar nunca é demais! 

 

Como as cerimónias se iniciam de tarde - e eu vim para trabalhar, por muito que esteja a adorar o ambiente - só conseguimos alcançar o final, mas foi suficiente para conseguir pregos para a família mais próxima! 

 

pregos.jpg

 Os famosos pregos

 

Já a caminho do hotel, cruzámo-nos com o carro dos príncipes que acenaram e, num gesto automático, retribui-lhes o aceno com as mãos todas negras! Devem ter ficado algo chocados por ver alguém de forma não imaculadamente limpa e a pisar o seu principado...mas a procura pela sorte a isso obrigou!

 

:)

 

 

1 comentário

Comentar post

MENSAGENS

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

foto do autor